Comissão tentará encontra saída para impasse na Ucrânia

O presidente da Ucrânia, Leonid Kuchma, disse que será criado um grupo de trabalho multilateral para discutir a saída da crise eleitoral no país. Kuchma participou de uma reunião com os dois candidatos à sua sucessão, Viktor Yanukovych e o oposicionista Viktor Yushchenko, que denuncia fraude na eleição de domingo passado. Também estiveram presentes representantes da União Européia e da Rússia, além do presidente do Parlamento ucraniano, Volodymyr Lytvyn. A União Européia e os EUA concordam com Yushchenko, e pressionam o governo da Ucrânia a não reconhecer a vitória de Yanukovych, candidato preferido pela Rússia. A Suprema Corte ucraniana já proibiu a formalização do resultado enquanto analisa o caso. Não ficou claro quais as opções em estudo, mas uma fonte disse que a possibilidade de um novo segundo turno do pleito presidencial está na mesa.Hoje, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, avisou que o mundo "acompanha bem de perto" a forma como a Ucrânia tenta lidar com as denúncias de fraude. Bush, falando a repórteres que cobrem seu período de férias no Texas, disse esperar que um vencedor "com credibilidade" surja do processo. "A comunidade internacional acompanha com muito cuidado", disse o presidente. "Pessoas estão prestando muita atenção nisso e tenho esperança de que a questão se resolva de modo a trazer credibilidade e confiança ao governo ucraniano".No início da semana, o secretário de Estado Colin Powell havia dito que, por conta das fraudes, os Estados Unidos não poderiam aceitar o resultado da eleição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.