Comissão vê 'sérios problemas' em votação na Rússia

Houve "sérios problemas" na votação que levou Vladimir Putin de volta à presidência da Rússia, disse nesta segunda-feira Tonino Picula, chefe da principal missão internacional de observação eleitoral, alimentando os planos da oposição para a realização de um protesto maciço mais tarde nesta segunda-feira.

AE, Agência Estado

05 de março de 2012 | 10h13

Putin venceu no domingo o pleito presidencial como era esperado, retornando ao Kremlin e garantindo sua permanência no poder por mais seis anos. Opositores, porém, afirmaram que a votação foi fraudada. Uma manifestação foi marcada para esta segunda-feira na Praça Pushkin, em Moscou. Meios de comunicação relatam que cerca de 12 mil policiais e tropas vão estar de prontidão para assegurar a ordem.

"Não houve competição real, e os abusos dos recursos do governo garantiram que o vencedor final das eleições nunca estivesse em dúvida", afirmou Picula. O presidente da Comissão Eleitoral Central, Vladimir Churov, disse, em entrevista à imprensa, que Putin recebeu 45,1 milhões de votos, 63,75% dos votos em âmbito nacional, com base em uma taxa de participação de 65,3%. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaeleiçãoPutin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.