Comissária da ONU afirma que posição de Dilma sobre direitos humanos não é clara

Para a alta comissária para Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Navi Pillay, ainda não está claro se o governo brasileiro, sob o comando de Dilma Rousseff, adotou ou não uma nova política em relação ao tema.

, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2011 | 00h00

"Vou acompanhar de perto a questão. Mas ainda não é possível dizer se houve alguma mudança (em relação ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva)", afirmou Navi.

Dilma já ensaiou críticas ao Irã a respeito dos direitos humanos e sugeriu que o Brasil de Lula havia errado ao abster em votações na ONU que condenavam a República Islâmica. Pouco depois, foi criticada pelo governo do Irã. "A questão será como ela (Dilma) vai responder a partir de agora a situações reais no Irã. Aí teremos o teste", completou a alta comissária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.