Comitê acusa marinheiro por tragédia em submarino

O porta-voz do Comitê Investigativo, Vladimir Markin, afirmou hoje que um marinheiro disparou o sistema de segurança contra incêndios em um submarino nuclear russo, na semana passada. Segundo a investigação, a ativação do sistema foi a responsável pela tragédia que matou 20 pessoas. O investigador disse que foi aberto um processo contra o marinheiro, que não teve seu nome revelado. Segundo Markin, o suspeito confessou a falha.O submarino, chamado Nerpa, passava por testes no Mar do Japão quando o sistema de segurança contra incêndios foi ativado. O gás freon asfixiou 20 pessoas e levou outras 21 para o hospital. Anteriormente, a superlotação foi apontada como uma das causas do incidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.