Comitê critica política de Israel para jornalistas

O Comitê de Proteção aos Jornalistas, baseado em Nova York, uniu-se a um crescente coro de grupos criticando a política de Israel de expulsar jornalistas das cidade ocupados da Cisjordânia. O grupo também acusou tropas israelenses de dispararem contra repórteres. A organização emitiu um comunicado afirmando que enviou umacarta ao primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, protestandocontra tentativas dos militares de impedir que repórteres cubramos acontecimentos em Belém, Ramallah e Qalqiliya. A Federação Internacional dos Jornalistas, baseada em Bruxelas e a Associação da Imprensa Estrangeira em Israel tambémprotestaram contra a política do Estado judeu. O Comitê de Proteção aos Jornalistas também acusou Israel deatacar repórteres. O grupo afirmou que na segunda-feira tropasisraelenses dispararam contra um carro blindado usado pelacorrespondente da NBC Dana Lewis e sua equipe de duas pessoas. Ocarro tinha claras marcas de imprensa, segundo o grupo. Ninguémficou ferido no incidente. A organização também denunciou que a repórter da BBC OrlaGuerin e sua equipe de tevê ficaram sob fogo israelense quandocobriam um protesto pacífico em Belém. A jornalista e sua equipenão foram atingidos, mas seis pacifistas ficaram feridos. O Exército de Israel não comentou imediatamente hoje asacusações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.