Comitê do 11/9 não dirá que era possível evitar os ataques

O relatório final da comissão que investiga os atentados de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos não declarará que era possível evitar os ataques, apesar de alguns membros do comitê terem dito, ao longo da investigação, que acreditavam na possibilidade de deter os seqüestradores dos aviões. No fim, o grupo, composto por cinco democratas e cinco republicanos, preferiu não elaborar nenhuma conclusão sobre o assunto."Minha opinião pessoal é a de que o sistema de espionagem estava quebrado havia um bom tempo", disse o republicano John Lehman. "Mas nós queremos que o povo americano chegue às suas próprias conclusões. A população não precisa que nós editorializemos." O relatório de mais de 500 páginas será divulgado na quinta-feira. O presidente da comissão, o republicano Thomas Kean, e seu vice, o democrata Lee Hamilton, planejam levar suas conclusões ao presidente dos EUA, George W. Bush, na quarta-feira. Tanto Kean quanto Hamilton disseram, ao longo dos últimos meses, que acreditavam na hipótese de que os atentados poderiam ter sido evitados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.