Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

Comitê do Nobel pede que mulher de Liu receba Nobel da Paz

Liu Xia está em prisão domiciliar na China desde o anúncio do prêmio para o marido, em outubro

estadão.com.br,

09 de novembro de 2010 | 17h23

OSLO - O comitê organizador do Nobel pediu que o governo chinês permita a viagem da mulher do dissidente Liu Xiaobo, Liu Xia, à Noruega para receber o prêmio Nobel da Paz em nome de seu marido. Ela está em prisão domiciliar desde o anúncio da homenagem, em outubro.

Veja também:

lista Perfil: Liu Xiaobo, ativista chinês

especial Infográfico: todos os Nobel da paz

"A situação não foi resolvida ainda, mas não descartamos totalmente a possibilidade dela vir", disse o secretário do comitê, Geir Lundestad, nesta terça-feira, 9.

Caso o casal não compareça, apenas um representante autorizado pode retirar o prêmio de US$ 1,5 milhão e o comitê deve ler um comunicado por escrito do laureado.

 

Liu, ex-professor de literatura de 54 anos, passou os últimos 20 anos entrando e saindo de prisões chinesas. Ele foi preso em dezembro de 2009 devido à sua participação no manifesto Carta 08, que pedia mudanças políticas no país.

 

O manifesto, assinado por 300 acadêmicos, artistas, advogados e ativistas, pedia uma nova Constituição, um poder judiciário independente e liberdade de expressão. Liu cumpre pena de 11 anos, sob a acusação de "subverter o poder".

 

Antes disto, o Nobel da Paz já havia sido preso por envolvimento com os famosos protestos da Praça da Paz Celestial em Pequim, em 1989, e por criticar em público o sistema político de partido único chinês.

Leia ainda:

linkAdvogado de Liu é impedido de sair da China

Com AP

Tudo o que sabemos sobre:
Nobel da pazChinaLiu Xiaobo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.