Lefteris Pitarakis/AP
Lefteris Pitarakis/AP

Comitê quer substituir moeda síria pela turca no norte da Síria

Projeto é respaldado por grupos opositores sírios que contam com o apoio da Turquia, segundo Observatório Sírio de Direitos Humanos

O Estado de S. Paulo

12 de agosto de 2015 | 07h00

BEIRUTE - O chamado "Comitê sírio para substituir a moeda em circulação" decidiu substituir a lira síria pela turca nas áreas em poder da oposição no norte do país árabe, informou nesta terça-feira, 11, à agência EFE o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos, Rami Abdul Rahman.

Abdul Rahman disse que este projeto é respaldado por grupos opositores sírios que contam com o apoio da Turquia, mas não pôde dar mais detalhes.

Segundo um vídeo do próprio Comitê, esta iniciativa "conjunta com forças revolucionárias e facções armadas" pretende substituir a moeda síria pela turca "nas zonas livres da Síria até a queda do regime criminoso e a emissão de uma nova divisa nacional".

Os objetivos do projeto, acrescentou o Comitê, são preservar os fundos do povo sírio perante "o colapso" da lira síria, estabilizar o preço dos produtos e racionalizar o investimento, e lutar contra o regime no plano econômico.

Abdul Rahman apontou que em algumas partes das províncias setentrionais de Alepo e Idlib os salários começaram a ser pago com liras turcas.

O ativista destacou que esta iniciativa é lançada no meio dos preparativos turcos de estabelecer uma "zona segura" livre de jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI) no norte de Alepo.

No fim de semana passado, a Frente al Nusra, filial síria da Al Qaeda, recuou de várias de suas posições na fronteira entre o território turco e o sírio.

O Observatório ressaltou que há informações não confirmadas de que poderiam ter entrado na Síria centenas de rebeldes próximos ao governo turco que teriam se desdobrado no norte de Alepo. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaTurquia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.