Comitês Cívicos e Morales devem dialogar sobre Constituinte

Os Comitês Cívicos da Bolívia sugeriram ao Governo socialista um encontro, neste domingo, 03, para discutir sua reivindicação de que a Assembléia Constituinte respeite a norma de convocação, informaram nesta sexta-feira os dois lados.A proposta foi enviada pelo Comitê Cívico de Cochabamba em nome de outras oito organizações civis do país. O vice-presidente do país, Álvaro García Linera, leu a carta numa entrevista coletiva e prometeu responder neste sábado.De acordo com Linera, o Governo está disposto a discutir com as organizações cívicas o artigo 71, que tem gerado polêmica na Constituinte e uma série de protestos das regiões e dos partidos políticos da oposição.Esta sexta-feira foi de greve, convocada pelas organizações cívicas em quatro dos nove departamentos do país. Mas em dois deles o protesto foi parcial e nos outros dois não houve adesão.A ministra de Governo (Interior), Alicia Muñoz, acusou os organizadores da greve de defender "interesses políticos" e avaliou que a medida não teve o impacto desejado.Os Comitês Cívicos querem uma reunião com o presidente Evo Morales, que voltará de Cuba na manhã deste domingo.A crise foi criada pela divergência entre o governista Movimento Ao Socialismo (MAS) e as forças da oposição na Assembléia. Os dois grupos discordam sobre a fórmula de voto para aprovar os artigos da nova Carta Magna boliviana.Os socialistas insistem na maioria absoluta (128) dos 255 membros do fórum. A oposição defende a maioria de dois terços (170), estabelecida na atual Constituição e na lei de convocação da Constituinte.Os governadores de Santa Cruz, Rubén Costas, e de Beni, Ernesto Suárez, confirmaram que tomaram a decisão de entrar em greve de fome a partir de segunda-feira se suas reivindicações não forem atendidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.