Commonwealth pede empenho para acordo climático

Líderes dos países do Commonwealth, formado por ex-colônias britânicas, pediram hoje empenho internacional para assegurar a definição de um acordo na conferência da Organização das Nações Unidas (ONU), em Copenhague, e a criação de um fundo para ajudar os países mais pobres a cumpri-lo.

AE-AP, Agencia Estado

28 Novembro 2009 | 21h02

O grupo defende que um acordo seja adotado no máximo até o próximo ano e, ao mesmo tempo, pede recursos da ordem de US$ 10 bilhões por ano, a partir de 2012, para compor o fundo. Segundo esses líderes, pelo menos 10% destes recursos deverão ser destinados às pequenas ilhas, que estão mais sujeitas ao risco de catástrofes em função do aquecimento global.

"A mudança climática é um desafio global predominante", disseram os líderes das 53 nações do Commonwealth, em comunicado divulgado hoje, após o encontro de dois dias, realizado em Trinidad e Tobago. "Para alguns de nós, é uma ameaça a nossa existência".

O primeiro ministro dinamarquês, Lars Loekke Rasmussen, e o secretário-geral Ban Ki-moon, que participaram do encontro para ajudar o grupo na discussão sobre o clima, classificaram a declaração do Commonwealth como uma evidência do momento favorável para a conferência que será realizada em Copenhague no próximo mês.

"Deixo Trinidad completamente convencido de que será possível chegar a um acordo ambicioso em Copenhague", disse Loekke Rasmussen. Segundo ele, cerca de 90 países já concordaram em participar da conferência.

Mais conteúdo sobre:
Clima Copenhague Commonwealth

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.