Como a Rússia abastece o chavismo na Venezuela com armas de ponta

Colaboração começou na época do presidente Hugo Chávez; no total, Caracas já gastou mais de US$ 10 bilhões com armas russas; conheça os tanques, caças e sistemas antiaéreos mais poderosos

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2019 | 18h21

O regime de Nicolás Maduro na Venezuela detém um dos principais arsenais militares da América do Sul, montado com base em anos de cooperação com a Rússia e a China, que forneceu blindados usados na repressão a manifestantes. A colaboração começou na época do presidente Hugo Chávez. O primeiro acordo, assinado em 2006, selou a venda de caças no valor de US$ 2,9 bilhões. No total, Caracas já gastou mais de US$ 10 bilhões com armas russas, entre tanques, caças, helicópteros e sistemas antiaéreos, como mostra o gráfico abaixo. 

A parceria estratégica aprofundou-se no governo de Nicolás Maduro, quando os russos ganharam contratos também na poderosa indústria do petróleo venezuelana, que entrou em crise a partir de 2013. No total, empréstimos russos à PDVSA somam US$ 17 bilhões. Conheça os números da indústria do petróleo venezuelana:

A crise também afetou a manutenção dos equipamentos militares venezuelanos. O país tem destinado menos verbas à área militar desde 2013; veja no infográfico

Com a falta de dinheiro e o crescimento da oposição depois que Juan Guaidó se autodeclarou presidente interino do país, os russos se viram obrigados a ampliar a cooperação militar. No mês passado, enviaram homens e equipamento à Venezuela, como mostra esse vídeo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.