Como a vitória do Likud afeta os palestinos

CENÁRIO: Ishaan Tharoor / W. POST

O Estado de S.Paulo

19 Março 2015 | 02h00

A vitória de Binyamin Netanyahu - e a retórica com matizes raciais que ele usou para consegui-la - reforça convicções palestinas de que não há esperança na muito ventilada solução de dois Estados, o plano oficialmente endossado por Estados Unidos, ONU e uma sucessão de governos israelenses. Havia pouco otimismo entre palestinos, antes mesmo das eleições de que uma derrota de Netanyahu significaria algo substancialmente diferente.

No passado, os palestinos apoiavam partidos políticos israelenses moderados. A ocupação contínua da Cisjordânia e o status não resolvido dos territórios palestinos não foram questões para a maioria das campanhas eleitorais israelenses. Essa seria a razão porque a Autoridade Palestina tem recorrido a fóruns internacionais para pressionar Israel nos últimos anos.

Ela conquistou a admissão em alguns organismos da ONU, reconhecimento oficial de uma série de governos ocidentais, e poderá até tentar levar Israel ao Tribunal Penal Internacional pela construção de assentamentos na Cisjordânia, considerada uma violação de lei internacional. Os palestinos acreditam que não têm outra opção a esta altura. / TRADUÇÃO DE CELSO PACIORNICK

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.