Andrew Caballero Reynolds/ AFP
Andrew Caballero Reynolds/ AFP

Como funcionaria uma recontagem em Wisconsin?

Após projeções indicarem vitória de Biden no Estado, campanha de Trump anunciou que pediria recontagem dos votos

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2020 | 10h00

O democrata Joe Biden foi declarado vitorioso no Estado de Wisconsin nesta quarta-feira, 4, mas a campanha do presidente Donald Trump anunciou pedido de recontagem de votos no Estado. 

Wisconsin tem 10 votos no colégio eleitoral. A sequência de vitória democrata no Estado foi interrompida em 2016, quando Trump venceu Hillary Clinton por apenas 0,8 ponto porcentual. O resultado caiu na conta pessoal de Hillary, que praticamente não fez campanha no Estado, acreditando ser improvável que Trump derrubasse parte de sua "barreira azul". Uma recontagem chegou a ser conduzida na ocasião - solicitada pela candidata do Partido Verde -  mas não levou a mudanças significativas. 

Agora, projeções do The New York Times, da CNN e da AFP colocaram Biden como vitorioso no Estado. Segundo o The New York Times, Wisconsin tem 98% das urnas apuradas e registra 49,4% dos votos para Biden, frente a 48,8% para Trump - uma diferença de 0,6 ponto porcentual. 

Entenda como pode funcionar o processo de recontagem e quais as expectativas:

As regras do Estado permitem que Trump solicite a recontagem?

Sim. Pela lei estadual, a recontagem pode ser conduzida às custas do Estado quando a margem de votos do candidato vitorioso for menor que 0,25%. Os candidatos também podem solicitar uma recontagem se a margem for inferior a  1%, desde que a campanha pague pelo processo.

Projeções de quarta-feira mostraram que Biden estava à frente de Trump por cerca de 0,6 ponto porcentual no Estado, ou cerca de 20.500 votos - próximo o suficiente para permitir que Trump solicitasse uma recontagem.

Trump derrotou Hillary Clinton em Wisconsin por 22.748 votos em 2016.

 

Quanto tempo a campanha de Trump tem para solicitar a recontagem?

De acordo com a legislação estadual, o candidato à presidência que solicitar uma recontagem precisa fazer isso até às 17h do primeiro dia útil após o Estado ter recebido o resultado final de seus 72 condados. 

O prazo para que os condados entreguem o resultado desta eleição, segundo as regras estaduais, é 17 de novembro. 

Por que uma recontagem pode ser necessária?

O coordenador da campanha de Trump, Bill Stepien, disse em comunicado que a campanha queria uma segunda análise por causa de “relatos de irregularidades em vários condados de Wisconsin que levantam sérias dúvidas sobre a validade dos resultados”. Ele, no entanto, não forneceu evidências dessa afirmação.

A administradora da Comissão de Eleições de Wisconsin, Meagan Wolfe, rejeitou a afirmação de Stepien, e afirmou aos repórteres na quarta que a contagem havia transcorrido bem. Ainda assim, segundo ela, os secretários do Estado estavam preparados para conduzir uma recontagem se uma petição fosse recebida para fazê-lo.

Em qual prazo a recontagem poderia ser finalizada?

 

A recontagem precisa começar até às 09h do terceiro dia após a Comissão Eleitoral de Wisconsin determinar que ela seja feita. 

Os condados devem concluir a recontagem e encaminhar os resultados ao estado em até 13 dias após a solicitação, de acordo com as orientações fornecidas aos condados.

Quanto custaria a recontagem para a campanha de Trump?

Dada a atual margem de vitória de Biden, autoridades locais podem solicitar que a campanha de Trump pague o custo estimado da recontagem antes que ela ocorra. A candidata pelo Partido Verde Jill Stein pagou quase U$ 3,5 milhões para iniciar uma recontagem completa no Estado nas eleições presidenciais americanas de 2016. 

Como funciona o processo?

O Estado distribui aos condados um roteiro detalhado que deve ser seguido durante a recontagem, o que inclui retabular as cédulas, manualmente ou por meio de máquinas automatizadas. 

A secretária adjunta de Winnebago, Julie Barthels, lembrou que o condado mobilizou 40 pessoas por dia para recontar todas as mais de 84 mil cédulas individuais do condado à mão em 2016. "Correu tudo bem, e esperamos que desta vez também seja igual", disse ela.

Como deve transcorrer o processo caso ele ocorra?

Autoridades locais e estaduais de Wisconsin expressaram confiança de que estão preparados para conduzir uma recontagem segura. Eles apontaram que o Estado tem registrado disputas acirradas e conduziu diversas recontagens no passado. Ainda assim, funcionários afirmaram que o processo pode ser estressante, devido ao intenso escrutínio e aos recursos necessários para que ele seja finalizado.

 A secretária do condado de Brown, Sandy Juno, é uma veterana em muitas recontagens, mas disse que nenhuma corresponde a 2016, a primeira recontagem presidencial de grande escala em Wisconsin.

“Aquilo pelo que passamos em 2016 foi uma experiência completamente diferente, e a pressão foi horrível”, disse ela. 

Após a corrida eleitoral, ela teve que reunir rapidamente uma equipe, juízes dos partidos políticos e até mesmo alugar uma grande instalação em Green Bay e, em seguida, mobiliá-la -  custos arcados por quem solicitou a recontagem. No final, cerca de 30 pessoas passaram sete dias juntas, cada uma analisando mais de 125 mil cédulas.

Diferentemente de 2016, funcionários desta vez terão que levar em consideração o novo coronavírus. “Não tenho certeza como vamos fazer isso este ano mantendo dois metros de distância e mantendo as precauções sanitárias”, disse a secretária do condado de Ashland, Heather Schutte, que considera alugar  um local espaçoso para a tarefa. 

Uma recontagem em Wisconsin deve mudar o resultado da corrida?

Autoridades em Wisconsin disseram que as recontagens raramente mudam a contagem de forma significativa. “Espero que, se houver uma recontagem, os números não mudem muito”, disse Scott McDonell, o escrivão do condado fortemente democrata de Dane, nesta quarta-feira, 4, à imprensa. 

Da mesma forma, a secretária do condado de Brown, Sandy Juno disse que poucos votos mudaram em 2016. “Um candidato leva um voto perde outro, eles se anulam na maior parte”, disse. Em todo o Estado, em 2016, Clinton aumentou sua contagem em 713 votos, enquanto Trump aumentou em 844, o que significa que a margem geral de vitória de Trump foi ampliada em 131 votos como resultado da recontagem.

No Twitter, o ex-governador de Wisconsin Scott Walker (republicano) chamou a margem de 20 mil votos de um “grande obstáculo” para Trump. Em um e-mail, no entanto, ele acrescentou que um processo de prospecção local agora em andamento pode revelar problemas na contagem atual. “Isso tornaria a perspectiva de mudança no resultado muito mais provável”, disse ele. “O resultado final é que ninguém deve declarar vitória em Wisconsin até que ela seja certificada pelo estado.”/W.P.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.