Companhias aéreas proíbem peixe sueco ´fedido´

O prato nacional da Suécia tem um gosto que é para poucos, para dizer o mínimo. Algumas pessoas dizem que o surströmming, um arenque fermentado, tem o cheiro de lixo deixado debaixo do sol por vários dias. Mas agora o peixe foi proibido por grandes companhias aéreas, recebendo um tratamento parecido ao que é dado a armas perigosas como sapatos-bomba ou armas de fogo. A decisão causou uma revolta geral na Suécia, onde o surströmming é considerado um dos símbolos nacionais. O arenque do Báltico é fermentado em barris por meses antes de serem colocados em latas de metal, onde o processo de fermentação continua. Algumas pessoas dizem que é simplesmente peixe podre e que cheira, logicamente, a peixe podre. Mas outros argumentam que é uma iguaria das mais finas. Explosivos Porém não foi seu cheiro, muito menos seu sabor, que levaram à sua proibição. Companhias como a British Airways, Air France e KLM argumentam que as latas são bens pressurizados que devem ser classificados como potencialmente explosivos. Com a decisão, a venda da iguaria no aeroporto internacional de Estocolomo foi suspensa. A decisão causou revolta entre os produtores de surströmming, que classificam a decisão das companhias aéreas de ?culturalmente analfabeta?. Segundo eles, é um mito a idéia de que as latas com o produto possam explodir. Eles admitem, porém, que um furo em uma dessas latas pode emitir um cheiro ruim e que o conteúdo pode ser forçado para fora como em uma lata de cerveja furada. Mas eles argumentam que isso não é o suficiente para impedir a exportação de um potencial símbolo nacional. A Academia Sueca de Surströmming, uma organização que promove o produto nacionalmente e internacionalmente, argumenta que qualquer companhia preocupada com explosivos e cheiros ruins deveria primeiro proibir garrafas de champanhe e queijos franceses antes de atacar o orgulho da cozinha sueca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.