Companhias aéreas suspendem vôos para o Oriente Médio

As companhias aéreas que operam vôos para a região do Oriente Médio estão alterando suas programações diante da iminência de uma guerra contra o Iraque. A britânica British Airways já suspendeu vôos com destino ao Kuwait ou que saem do país para outras nações e vai interromper os vôos de Tel Aviv (Israel) a partir de amanhã, por um período indeterminado. A Korean Air pretende interromper os vôos para Dubai (Emirados Árabes Unidos) e Cairo (Egito), assim que a guerra começar no Iraque, mas já reduziu as viagens de hoje até 31 de maio para uma série de destinos nos EUA, incluindo Nova York, Chicago, São Francisco e Honolulu. A Royal Jordanian informou que pretende alterar ou cancelar vôos, uma vez que houve uma diminuição de passageiros que estão seguindo para a região, mas pretende continuar com serviços regulares para "a maioria" de seus 50 destinos na Europa, Ásia e América. A partir de amanhã, os quatro vôos semanais da RJ para Bagdá, um serviço autorizado pela ONU, serão suspensos.A Singapore Airlines cortará de 10 para 7 o número de vôos para Dubai (Emirados Árabes), em razão do baixo movimento na rota. O número reduzido de vôos valerá para o período de 24 de março até o final de maio. A SwissAir cortou, temporariamente, os sete vôos semanais da rota entre o Cairo e Zurique. A empresa voa ainda para novo outros destinos na região do Oriente Médio e informou que decidirá sobre alterações conforme a situação do dia-a-dia. A Thai Airways paralisará os vôos da rota Barein-Kuwait a partir de amanhã e poderá alterar outros vôos entre a Europa e a Ásia para não sobrevoar a área de um eventual conflito. Até domingo, estão suspensos os vôos da Cyprus Airways para o Golfo, afetando destinos na Arábia Saudita, Dubai e Barein.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.