Comparecimento às urnas no Curdistão chega a 78%

O comparecimento dos eleitores às urnas nas eleições presidencial e legislativa da região autônoma do Curdistão, no Iraque, foi de 78,5%, de acordo com a comissão eleitoral local, que citou dados preliminares. Mais de 2,5 milhões de curdos estavam aptos a votar. O resultado final do pleito pode demorar dias para ser anunciado. As urnas serão reunidas na capital, Arbil, para depois serem enviadas a Bagdá, onde serão abertas.

AE, Agencia Estado

25 de julho de 2009 | 19h37

Analistas acreditam que a votação deverá confirmar o poder dos atuais mandatários da região. Os locais de votação ficaram abertos uma hora a mais que o previsto porque alguns eleitores reclamaram que não conseguiam encontrar seus nomes nas listas do pleito.

Cinco candidatos concorreram ao posto de presidente do Curdistão. Espera-se que as eleições promovam mudanças no governo regional e ajude a reduzir a tensão com Bagdá sobre petróleo e terras que ameaça a estabilidade do país. A eleição para um novo presidente e 111 membros do Parlamento colocará à prova o sistema político que vem mantendo a região autônoma em uma calma relativa, apesar de alegações de corrupção.

As duas coalizões políticas dominantes, a União Patriótica do Curdistão e o Partido Democrata do Curdistão, são desafiadas por novas coalizões de oposição que buscam tirar proveito das alegações de má conduta e corrupção. Os líderes das duas principais coalizões - o presidente iraquiano, Jalal Talabani, e o presidente regional curdo, Massoud Barzani - esperam que seus partidos possam sobreviver ao desafio. Pesquisas de boca de urna indicam Barzani como favorito. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesCurdistãoIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.