Comparecimento em referendo no Sudão supera 100%

Resultados preliminares sobre o referendo relativo à independência do sul do Sudão indicam uma vitória maciça a favor da separação, mas o comparecimento às urnas superou os 100% em várias regiões. Uma autoridade afirmou hoje que alguns resultados estão sendo analisados.

AE, Agência Estado

23 de janeiro de 2011 | 19h32

O comparecimento ultrapassou 100% em 10 dos 79 condados do sul, de acordo com uma análise realizada pela agência de notícias Associated Press (AP) usando informações do site da Comissão de Referendo do Sul do Sudão. No condado de Bor, no Estado de Jonglei, o número de votos supera em 720 o número de eleitores registrados.

A comissão relatou em seu site que, com quase todos os votos contados, 98,8% dos eleitores que foram às urnas no referendo de 9 a 15 de janeiro optaram pela separação. Apesar de esse resultado ser esmagador, autoridades internacionais previam há meses que o sul votaria pela independência, o mesmo que autoridades do norte do Sudão admitiram. O número de votos excessivos nos 10 condados variam de 3 a 720, de acordo com a análise da AP.

Justice Chan Reec Madut, que chefia o escritório sulista da comissão de referendo, disse que os resultados das urnas que registraram mais de 105% de comparecimento serão analisados. Mas ele afirmou que mesmo que a comissão descarte votos dos condados onde foi registrado um excesso de eleitores, "a tendência é clara", o que significa que o sul votou a favor da separação.

Observadores internacionais em geral elogiaram o processo do referendo, classificando-o de confiável, dentro dos padrões internacionais e representante do desejo do povo. O sul do Sudão deve se tornar o mais novo país em julho. Questões como direitos do petróleo, demarcação da fronteira e direitos de cidadania ainda precisam ser definidos entre o norte e o sul. Os resultados finais do referendo devem ser anunciados em fevereiro. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
democraciaSudãoreferendo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.