HO / Anna Turley / AFP
HO / Anna Turley / AFP

Comportamento de aliado de Boris Johnson enfurece colegas e vira meme 

Jacob Rees-Mogg, defensor de Brexit sem acordo, aparentou estar dormindo em debates sobre a saída da UE

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2019 | 10h00

LONDRES - Era um debate de emergência sobre o Brexit, com todos os olhos voltados para o Reino Unido. Mas para o líder da Câmara dos Comuns, era hora de dar uma descansada. 

Jacob Rees-Mogg enfureceu seus colegas na terça-feira à noite enquanto ele se reclinava na frente do Parlamento, com as pernas cruzadas, os olhos aparentemente fechados de tempos em tempos. 

Para Entender

Guia: como a suspensão do Parlamento britânico afeta o Brexit

Manobra do premiê Boris Johnson pode atrasar as discussões para a aprovação de um acordo amigável com a UE

Mas a postura de Rees-Mogg durante um debate crucial para a política britânica foi vista como uma afronta pela líder do Partido Verde, Caroline Lucas, que dirigiu sua fala no plenário a críticas a ele, dizendo que a linguagem corporal do líder era "desdenhosa". 

"O líder da Câmara está espalhado por três assentos, deitado como se tudo isso fosse algo muito entediante para ele ouvir esta noite", dizia ela enquanto outros parlamentares gritavam em sua direção: "sente-se" e "sente-se direito".

Parecendo um pouco envergonhado, o acusado balançou a cabeça e franziu a testa, antes de ajustar os óculos. Em questão de minutos, Rees-Mogg virou meme. 

Com as tensões subindo no Parlamento e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, perdendo a maioria em uma grande derrota, Rees-Mogg ganhou as redes sociais em uma variedade de situações esquisitas e curiosas. 

Após defender a expulsão de Rees-Mogg do Parlamento por seu comportamento, Lucas recorreu ao Twitter na terça-feira à noite para continuar seu protesto: 

"A linguagem corporal fala alto. Eu passei quase três horas observando ele nessa posição e isso foi demais! Além disso, como ele ousa chamar a nós, que estamos tentando impedir um Brexit sem acordo de 'não democráticos'? Seu governo não tem legitimidade para esse Brexit viciado e está tentando passar por cima do Parlamento." 


O parlamentar David Lammy se juntou às críticas contra o líder dos Comuns. “O resumo da arrogância e desprezo desse governo extremista de 'Brexiteers' revelou nossa democracia. Hoje mostramos que o Parlamento não será intimidado. Amanhã (quarta-feira), vamos derrotá-los novamente ”, tuitou ele.

Anna Turley, membro do Parlamento, também expressou seu horror, chamando Rees-Mogg de "a personificação física da arrogância, desrespeito e desprezo pelo nosso Parlamento".

Nas mídias sociais, alguns destacaram que talvez Rees-Mogg estivesse deitado tentando ouvir os alto-falantes que alinham os bancos do Parlamento. Mas Rees-Mogg pareceu desprezar essa alegação na quarta-feira, dizendo ao correspondente político da ITV Joe Pike que ele estava "sentado confortavelmente" e considerou as críticas nas redes sociais como "triviais". 

Enquanto Rees-Mogg parecia relaxado em meio ao caos do Brexit, terça-feira foi profundamente perturbador para Johnson, que perdeu 21 membros de seu Partido Conservador que se juntaram a parlamentares da oposição em uma tentativa de retomar o controle da agenda do Brexit. / W. POST 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.