Composição da Finul não está decidida, responde França a Israel

A composição da Força Interina da ONU parao Líbano (Finul) "ainda não foi decidida definitivamente", informou nesta segunda-feira o Ministério de Exteriores francês, ao ser questionado sobre a possibilidade de a Itália substituir a França à frente da missão,como deseja Israel. Esse foi o único comentário de Agnès Romatet-Espagne, uma das porta-vozes do Ministério de Exteriores, ao ser perguntada em entrevista coletiva sobre o chamado lançado por Israel à Itália para que assuma o comando da Finul, depois que a França anunciou o envio de apenas 200 soldados adicionais à região. A composição da Finul "ainda não foi decidida definitivamente e as consultas continuam com todos os nossos parceiros", assinalou Romatet-Espagne. "Estamos em contato com nossos parceiros europeus, incluindo a Itália" para estabelecer a contribuição de cada um à Finul, acrescentou a porta-voz. A Presidência finlandesa da União Européia convocou uma reunião para esta quarta-feira para que cada país esclareça sua contribuição à missão da ONU no Líbano. Essa força, que agora conta com 2 mil soldados, será ampliada para 15 mil como apoio ao posicionamento do Exército libanês no sul do país, após o fim das hostilidades entre Israel e a milíciaHezbollah. A França quer "garantias" da ONU sobre a liberdade de movimento da Finul no sul do Líbano e detalhes sobre sua missão concreta, sua organização e comando, assim como sobre as possibilidades de reaçãoque terá. Paris insiste, além disso, em que a Finul reforçada tenha uma composição equilibrada, com a presença de países que respondam a diferentes crenças religiosas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.