Comunicado de Brasil e Síria pede fim da ocupação do Iraque

O Brasil e a Síria defenderam a rápida transferência do poder no Iraque para a sociedade local e o fim da ocupação do país pelas tropas da coalizão liderada pelos Estados Unidos. Por meio de um comunicado conjunto, os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Bachar al-Assad, da Síria, enfatizaram também suas posições favoráveis à paz no Oriente Médio com base em "resoluções pertinentes" do Conselho de Segurança da ONU. Esse foi um dos raros momentos em que o governo brasileiro destacou, em um documento diplomático, a expressão "ocupação" para designar a ação militar em curso no território iraquiano. No Líbano, a segunda etapa da visita presidencial ao Oriente Médio, tanto o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, quanto o assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, reconheceram o uso do termo ?ocupação? no documento como apropriado. "Porque é uma ocupação. É uma guerra não-autorizada pelo Conselho de Segurança da ONU", afirmou o chanceler a jornalistas. "Nós defendemos a desocupação", acrescentou em seguida o assessor de Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.