Comunidade árabe diz que desculpas de Netanyahu não foram suficientes

Líderes políticos árabes em Israel disseram que o pedido de desculpas do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, por causa de comentários ofensivos feitos em uma rede social, não foram suficientes.

Estadão Conteúdo

24 Março 2015 | 12h38

Netanyahu foi acusado de racismo, especialmente pela minoria árabe, quando "alertou" os cidadãos de que a comunidade árabe estava indo "votar em massa". Segundo o premiê, esta votação seria um esforço de grupos de esquerda, financiados com dinheiro externo, para fazer com que o voto de árabes israelenses o colocasse em desvantagem.

Netanyahu se reuniu ontem com a comunidade árabe e disse não ter tido a intenção de ofender os cidadãos, mas o político árabe-israelense Ahmed Tibi afirmou nesta terça-feira, durante uma entrevista à rádio Israel, que o pedido de desculpas não foi honesto.

Aida Touma-Suliman, uma das candidatas e membro da coalizão Lista Conjunta, que recebeu a maioria dos votos da comunidade árabe-israelense, disse que os representantes do grupo não foram convidados para a reunião na qual Netanyahu pediu desculpas.

Os cidadãos árabes representam 20% da população de Israel. A igualdade é garantida por lei, mas muitos árabes se queixam de discriminação por parte das autoridades. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Israel eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.