Comunidade em SP faz campanha para vítimas no Líbano

A comunidade libanesa no Estado de São Paulo deu início à campanha SOS Salve o Líbano, com o objetivo de arrecadar doações para as vítimas do confronto entre o Hezbollah e Israel.A iniciativa conta com a participação de mais de cem entidades libanesas no Estado de São Paulo, entre elas o Consulado. Postos de coleta espalhados pela capital paulista e pelo interior vão receber medicamentos, alimentos não-perecíveis e roupas de cama (cobertores, mantas e lençóis).Contribuições em dinheiro poderão ser depositadas em uma conta aberta pela Embaixada do Líbano no Banco do Brasil (Agência 1606-3, conta corrente 200004-0).PrazoSegundo um dos coordenadores da campanha, Omar Assaf, presidente do Conselho Deliberativo da Associação Paulista de Supermercados, a previsão é que o primeiro carregamento seja enviado ao Líbano já na próxima semana.O meio de transporte dos donativos ainda não está definido, mas Assaf espera a colaboração do governo brasileiro e de empresários.Os carregamentos chegarão pelo aeroporto internacional do Líbano ou via Chipre e serão distribuídos localmente pela Organização Superior de Ajuda Comunitária, ligada ao governo libanês. Mais de 8 milhões de libaneses e descendentes vivem no Brasil, o dobro da populacão do Líbano.ONUDesses, aproximadamente 3 milhões estão em São Paulo. Os organizadores da campanha esperam que ela se espalhe por outros Estados.O cônsul do Líbano em São Paulo, Walid Minkara, reforçou a exigência de um cessar-fogo imediato e afirmou que o governo de seu país vai recorrer à ONU para buscar a investigação das mortes ocorridas em Qana no final de semana."Se o governo do Brasil der sua chancela, vamos agradecer", disse.Minkara elogiou a atuação do Brasil e o empenho do Itamaraty para retirar os brasileiros residentes em áreas de risco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.