Comunidade gay da Venezuela critica frase de chavista

Membros de uma organização que defende direitos dos homossexuais na Venezuela criticaram ontem as declarações do presidente interino Nicolás Maduro em referência a seu rival na eleição de abril, o opositor Henrique Capriles, que consideraram desrespeitosas às políticas de inclusão sexual do presidente Hugo Chávez, morto na semana passada.

O Estado de S.Paulo

15 de março de 2013 | 02h04

"As palavras não são respeitosas nem em relação aos gays nem às mulheres", disse Angel Germán, da organização Força pela Igualdade. "Queremos lembrar Maduro de que Chávez nunca se meteu com os gays e promoveu políticas de inclusão."

Em um ato de campanha, Maduro disse: "Eu, sim, tenho mulher. Eu gosto de mulheres." Capriles, de 40 anos, é solteiro.

No ano passado, o então vice-presidente se retratou por comentários que foram tidos como homofóbicos. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.