'Comunidade internacional usa dois pesos e duas medidas com as Coreias'

ENTREVISTA

Entrevista com

PEQUIM, O Estado de S.Paulo

27 Maio 2010 | 00h00

Liu Jiangyong, Professor da Universidade Tsinghua

Para o professor chinês Liu Jiangyong, do Instituto de Estudos Internacionais da Universidade Tsinghua, a comunidade internacional adota dois pesos e duas medidas ao lidar com a crise na Península Coreana. Ele lembra que no ano passado a artilharia do Sul atingiu um navio norte-coreano nas imediações da fronteira marítima entre os dois países. "Deveríamos impor sanções a ambos os lados? Na ocasião anterior, ninguém disse que era necessário punir Seul", questionou ao Estado.

Qual é a chance de haver um confronto na península coreana?

Existe o potencial, mas países como China, Japão, EUA e Rússia não querem ver uma guerra entre as Coreias. Todos estão fazendo o maior esforço diplomático possível, que se torna mais necessário na medida em que o antagonismo aumenta.

Qual seria a melhor solução para o conflito?

Não há "melhor solução". O melhor caminho é usar medidas diplomáticas para reduzir o antagonismo. A Coreia do Sul perdeu um navio de guerra e acha que a Coreia do Norte deve ser responsabilizada por isso. No entanto, a Coreia do Norte não aceita a acusação. No passado, a Coreia do Sul e a Coreia do Norte trocaram fogo no mar em três ocasiões. A última delas ocorreu em novembro, quando um navio norte-coreano foi atingido. Pyongyang pediu a Seul que se desculpasse, o que não ocorreu.

Qual é a chance de a China apoiar novas sanções contra a Coreia do Norte?

Sanções não vão resolver o problema. A China não é o país envolvido nesse caso e a Coreia do Norte não admite ser responsabilizada pelo afundamento do navio de guerra. Supondo que a Coreia do Norte tenha afundado o navio, precisamos avaliar a questão historicamente. Na vez anterior, foi um navio norte-coreano que foi atingido, mas o número de mortos não foi tão alto como agora (de acordo com o New York Times, um oficial morreu e três marinheiros ficaram feridos).

Deveríamos impor sanções a ambos os lados? Na ocasião anterior, ninguém da comunidade internacional disse que era necessário punir a Coreia do Sul. Qual é a referência da comunidade internacional para julgar?

Como as questões históricas definem a relação entre a China e a Coreia do Norte?

China e a Coreia do Norte são tão próximas quanto lábios e dentes. No passado, China e Japão foram à guerra. O Japão colonizou a Coreia e a usou como uma plataforma para invadir a China. Naquela época, a Coreia e a China lutaram juntas contra a invasão japonesa. Há 60 anos, houve a guerra na península coreana e a China foi forçada a participar do conflito e lutar junto com a Coreia do Norte, contra os EUA. Por isso, a China criou laços com a antiga geração da Coreia do Norte.

O que uma eventual implosão do regime norte-coreano significaria para a China?

Essa pergunta é apenas uma suposição. Não importa quem tome o poder na Coreia do Norte, a China vai sempre desenvolver boas relações com o país. / C.T.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.