Comutada pena de morte de ex-Pantera Negra

Promotores norte-americanos anunciaram nesta quarta-feira que não irão mais buscar a pena de morte para o ex-integrante do grupo Pantera Negra Mumia Abu-Jamal, o que significa que ele vai passar o resto de sua vida na prisão por ter matado a tiros um policial branco quase 30 anos atrás.

AE, Agência Estado

07 de dezembro de 2011 | 17h11

A decisão do procurador distrital Seth Williams, tomada com o apoio da viúva do policial e do comissário de polícia, ocorreu após quase 30 anos de batalhar judiciais sobre o caso, com forte carga racial.

Abu-Jamal foi condenado pelo assassinato do policial Daniel Faulkner, da Filadélfia, em 9 de dezembro de 1981. Ele foi sentenciado à morte após julgamento no ano seguinte. Abu-Jamal, que está preso numa prisão da Pensilvânia, conquistou apoio mundial daqueles que acreditam que ele foi vítima de um sistema de justiça tendencioso. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAPanteras NegrasMumia Abu-Jamal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.