Concepción se moveu 3 metros após tremor, diz estudo

Terremoto de magnitude 8,8 atingiu a costa do Chile no final de fevereiro

Agência Estado e Associated Press

20 de abril de 2010 | 15h12

SANTIAGO - Algumas das cidades do centro-sul do Chile foram afetadas pelo terremoto de fevereiro, deslocando-se até três metros, aponta um estudo divulgado nesta terça-feira, 20, e liderado por acadêmicos da Universidade de Santiago. René Zepeda, engenheiro da universidade, disse em entrevista que o trabalho de cinco engenheiros agrimensores mostrou que na cidade de Concepción - 500 quilômetros ao sul de Santiago e um dos epicentros do terremoto de 8,8 graus e do tsunami que se seguiu - houve um deslocamento de três metros.

"No mundo moderno, nas últimas décadas, dificilmente há algum lugar que tenha se movido durante um terremoto, no lapso de um minuto e meio, três metros na superfície terrestre. E isso naturalmente foi uma grande surpresa", afirmou Zepeda.

No caso da capital, o deslocamento foi de 30 centímetros. Na zona de Talca, 252 quilômetros ao sul, o movimento da superfície foi de 2,5 metros. Zepeda disse que o deslocamento da superfície terrestre é normal e que anualmente é de dois centímetros na direção leste. Mas o sismo provocou o deslocamento no sentido contrário.

O especialista notou que esse deslocamento não tem impacto algum para a população, porém é importante para as referências geodésicas. Tampouco deve ter maior impacto na topografia das localidades costeiras, muitas das quais foram arrasadas pelo maremoto que se seguiu ao tremor da madrugada de 27 de fevereiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.