Conciliador, Bush pede superação de divisões eleitorais

Adotando um tom conciliatório após a avassaladora vitória democrata nas eleições legislativas, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, apelou nesta quinta-feira para que as diferenças entre os dois partidos sejam superadas nesta nova etapa. Em um pronunciamento antes de um almoço com líderes democratas, ele destacou que seu objetivo é conseguir com que agenda política republicana seja aprovada no Congresso antes do fim da atual legislatura, que termina em dezembro. Em uma vitória antes vista como improvável, o Partido Democrata conquistou a 51ª cadeira no Senado na noite de quarta-feira, retomando o controle total do Legislativo americano após 12 anos de hegemonia republicana no Congresso. "É nossa responsabilidade esquecer as eleições e trabalharmos juntos pelas grandes questões que afrontam a América", disse o presidente em uma breve declaração junto a membros de seu gabinete nos jardins da Casa Branca. Na ocasião, Bush também informou que iria almoçar com a provável futura nova presidente da Câmara dos Representantes (deputados), a democrata Nanci Pelosi, com a qual pretendia analisar que rumos dar às questões importantes ao país. Entre as prioridades que pretende abordar, Bush destacou a aprovação da Lei de Vigilância aos Terroristas e uma nova legislação sobre energia. A mudança na balança de poder americana deixa Bush sem o controle para manejar sua agenda legislativa no Congresso. O democratas, por sua vez, receberam bem os pedidos pelo bipartidarismo, embora afirmaram que irão investigar as políticas e decisões da administração. Bush enumerou seus objetivos para a atual legislatura (a nova assume em janeiro) como uma forma para que ambos os partidos "sobreponham as diferenças partidárias". Mas, com os democratas céticos em relação a vários itens de sua agenda, o pedido de Bush para que o Congresso faça as coisas do jeito dele pode complicar o esforço de reconciliação. "Alguns desses objetivos precisam ser aprovados antes que a atual legislatura termine, e isso significa que as próximas semanas serão conturbadas", disse Bush. Outras prioridades destacadas por Bush para a atual legislatura: de aprovação de um pacto nuclear alcançado com a Índia em fevereiro e a liberação dos EUA para a entrada do Vietnã na Organização Mundial do Comércio. Embora a campanha eleitoral tenha sido marcada por embates quase pessoais entre Bush e a líder democrata Pelosi, ambos enfatizaram terem encontrado pontos em comum durante uma aparição conjunta após o almoço. "Quando você ganha, você tem a responsabilidade de fazer o melhor que pode pelo país", disse Bush. "Nós não concordamos com tudo, mas concordamos que amamos a América." "Nós dois estendemos a mão em sinal de amizade e parceria para resolver os problemas que desafiam a América", disse Pelosi, que deve se tornar a primeira mulher a ganhar a presidência da Câmara americana. "Nós temos as nossas diferenças e iremos debatê-las. Mas iremos fazê-lo de uma maneira que leve a resultados."

Agencia Estado,

09 Novembro 2006 | 20h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.