Concordes voltarão a operar em setembro

O ministro francês dos Transportes, Jean-Claude Gayssot, disse que os testes técnicos do supersônico Concorde têm apresentado bons resultados, e que as aeronaves deverão voltar a operar até setembro. As aeronaves pararam de voar depois de um acidente com um vôo da Air France, nas proximidades do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, que matou 113 pessoas, em 25 de julho de 2000. Uma investigação preliminar do desastre, realizada no ano passado, sugeriu que o acidente foi causado por tiras de um pneu que explodiu e rompeu um tanque de combustível embaixo da asa do avião, durante a decolagem. O relatório final da investigação ainda não foi concluído.O ministro francês elogiou o novo pneu da fabricante francesa Michelin, adotado pela companhia aérea. O pneu, batizado como NZG, foi submetido a testes em que se colocaram vários obstáculos sob eles em alta velocidade, para ver como se comportavam. "Mesmo colocando inúmeros obstáculos para os pneus, e nas mais variadas velocidades, não conseguimos fazer com que eles explodissem", disse o diretor-técnico da divisão de pneus da Michelin, Jean Couratier."Durante o outono (que começa em setembro no continente europeu) os certificados que permitem que as aeronaves voltem a voar poderão ser restituídos, depois de assegurada a impossibilidade de que se repitam os eventos que levaram à catástrofe" , disse Gaysoot à rádio Europe-1. Os engenheiros também estão desenvolvendo um tanque de combustível linear para prevenir perfurações de lascas de pneu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.