Concurso de misses é transferido; conflitos prosseguem na Nigéria

Apesar de os organizadores teremtransferido o concurso de Miss Mundo para Londres, violentosconflitos entre cristãos e muçulmanos prosseguiam neste sábadoem Kaduna, no norte da Nigéria, depois de as desordensprovocadas pela fúria dos grupos islâmicos radicais teremdeixado mais de 100 mortos até sexta-feira. Segundo fontes da Cruz Vermelha, o número dos mortosdevido à onda de violência religiosa era de 105 pessoas, commais de 500 feridos até ontem. Os distúrbios cessaram em Kaduna, de populaçãomajoritariamente muçulmana, às 23h30 locais de ontem e sereiniciaram às 6h30 no lado sul da cidade. A causa principal da explosão de violência é atribuída aum comentário do jornal This Day, segundo o qual Maomé"certamente teria escolhido uma esposa entre as misses quechegaram à Nigéria". O concurso se realizaria na capital, Abuja, para onde osconflitos se espalharam. Segundo a Cruz Vermelha, cerca de 3 milpessoas perderam suas casas na cidade de Kaduna e em outrasregiões do país. Um importante líder muçulmano, Lateef Adegbite, aprovoua decisão de transferir o concurso para a Grã-Bretanha e exortoua todos - islâmicos e cristãos - a pôr fim às sangrentas cenasde violência. "Nas atuais circunstâncias, acho que a medida foiacertada", disse Adegbite, secretário-geral do Conselho deAssuntos Muçulmanos da Nigéria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.