Condenado 1º político por crimes da guerra servo-croata

Branimir Glavas, um legislador de oposição, foi condenado hoje por crimes de guerra por um tribunal da Zagreb, na Croácia. A decisão faz dele o primeiro político graduado a ser responsabilizado por atrocidades cometidas durante a guerra contra os sérvios. Glavas foi sentenciado a dez anos de prisão por crimes de guerra contra civis, mas permanecerá livre porque tem imunidade parlamentar.

AE-AP, Agencia Estado

08 de maio de 2009 | 14h04

A corte pediu ao Parlamento para retirar sua imunidade, mas a Câmara não estava em sessão e deve votar a questão na próxima semana. Até que isso aconteça, Glavas não pode ser detido e pode apelar da decisão. Durante a guerra servo-croata de 1991, ele era membro do partido governista União Democrática Croata e formou uma unidade paramilitar na cidade de Isijek, leste do país, onde ele era considerado um comandante militar. Cinco integrantes da unidade paramilitar de Osijek também foram condenados a sentenças que vão de cinco a oito anos de prisão.

O juiz Zeljko Horvatovic disse que Glavas ordenou a detenção, a tortura e os assassinatos de seis civis sérvios cujos corpos, amarrados e amordaçados, foram jogados num rio local. Além disso, Glavas não teria evitado a morte de dois outros sérvios, um dos quais foi obrigado a beber ácido de bateria antes de ser alvejado por balas, afirmou o juiz. Glavas, que conseguiu imunidade parlamentar depois de ser reeleito em 2007, não compareceu ao julgamento e sua localização é desconhecida. Ele nega os crimes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.