Arquivo/EFE
Arquivo/EFE

Condenado na matança de Atocha, na Espanha, Carlos García Juliá é preso no Brasil

O crime aconteceu em 1977 e o espanhol tinha 24 anos na época em que cometeu os crimes, sendo condenado a 193 anos de prisão na Espanha

O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2018 | 18h25

BRASÍLIA - O espanhol Carlos García Juliá, um dos condenados pela chamada matança de advogados de Atocha, ocorrida em 1977, foi detido na quarta-feira 5 por agentes da Polícia Federal no Estado brasileiro de São Paulo, informaram nesta quinta-feira, 6, fontes da embaixada da Espanha em Brasília.

García Juliá está sob custódia da Polícia Federal, cujo superintendente vai conceder uma entrevista coletiva na sexta-feira 7 para dar os detalhes da operação, sobre a captura e sobre a possível extradição, disse à EFE uma fonte da embaixada.

O espanhol tinha 24 anos quando cometeu os crimes e foi condenado pela Audiência Nacional da Espanha a 193 anos de prisão como autor material de cinco assassianatos, assim como José Fernández Cerra, outro atirador que atacou o escritório trabalhista em Madrid. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.