Condenado por massacre na Bósnia cumprirá pena na Espanha

Um ex-comandante de polícia sérvio da Bósnia, condenado a 17 anos de prisão pela morte de mais de 200 muçulmanos durante a guerra, foi transferido para a Espanha, onde cumprirá sentença, informa o tribunal de crimes de guerra das Nações Unidas.Darko Mrdja, de 37 anos, declarou-se culpado em uma acusação de homicídio e uma de crime contra a humanidade, e recebeu a sentença em março. Os promotores abandonaram uma terceira acusação, de extermínio de prisioneiros. Mrdja era comandante de polícia na cidade de Prijedor, onde centenas de muçulmanos foram presos quando a guerra entre os grupos étnicos da Bósnia - sérvios, croatas, islâmicos - irrompeu, em 1992.Policiais sob o comando dele encheram dois ônibus com prisioneiros, que foram levados até um rochedo, à beira de um penhasco, e mortos a tiros de metralhadora. Alguns saltaram para a ravina a fim de escapar dos tiros. Doze sobreviveram; 228 morreram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.