Condenados à morte quatro familiares de ex-ditador em Mianmá

Um tribunal condenou à forca nesta quinta-feira quatro familiares do ex-ditador Ne Win após considerá-los culpados de alta traição por conspirarem para derrubar o governo militar de Mianmá (ex-Birmânia). O veredicto deixa claro que a influência de Ne Win sobre o atual regime acabou. O ex-líder de 91 anos está em prisão domiciliar desde que foi descoberto, em março, o plano para um golpe de Estado.Aye Zaw Win, de 54 anos, marido da filha favorita de Ne Win, Sandar Win, os três filhos do casal - Aye Ne Win, 25, Kyaw Ne Win, 23, e Zwe Ne Win, de 21 - foram presos em março pouco depois que um militar revelou às autoridades que a família se havia colocado em contato com ele para preparar um golpe de Estado para restabelecer Ne Win no poder.Em um julgamento que durou três meses e meio, a promotoria apresentou provas substanciais, que mostravam os quatro acusados como uma família sedenta de poder. Os acusados foram considerados culpados de tentar recrutar militares para um golpe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.