Condoleezza faz visita surpresa ao Líbano

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, declarou que sua visita surpresa a Beirute, nesta quinta-feira, tem como objetivo reiterar o apoio de Washington à soberania e à independência do Líbano, assim como às reformas no país. Condoleezza fez esta declaração após se reunir com o patriarca maronita (católico de Oriente), Nasrala Sfer.Antes do Líbano, a secretária de Estado americana visitou o Egito e a Arábia Saudita, e esta tarde viajará aos Emirados Árabes Unidos, dando continuidade à sua viagem pela região, destinada, principalmente, a obter apoio árabe às pressões dos EUA sobre o Irã e o movimento islâmico Hamas.Riad e Cairo atuam como intermediários para melhorar as relações entre o Líbano e a Síria, deterioradas após o assassinato do ex-primeiro-ministro libanês Rafik Hariri, atribuído pela oposição libanesa a Damasco e às autoridades libanesas pró-sírias.Ao chegar nesta quinta-feira ao aeroporto de Beirute, Condoleezza afirmou que sua viagem também tem como objetivo "expressar o apoio total à recuperação da soberania total do Líbano, assim como a seus esforços para conseguir as reformas".Condoleezza anunciou que durante sua estadia em Beirute se reunirá com o primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, o líder druso Walid Jumblatt e o chefe do mais importante grupo parlamentar libanês, Saad Hariri, filho de Rafik Hariri.Além disso, se reunirá com o general Michel Aoun, líder de um importante bloco parlamentar, que firmou recentemente um "acordo de entendimento" com o grupo libanês xiita Hezbolá, considerado uma organização terrorista pelos EUA.Condoleezza também disse que falará por telefone com o presidente do Parlamento, Nabih Berri, também líder do grupo xiita Amal.No entanto, Consoleezza não deve se reunir com o presidente do Líbano, Émile Lahoud, boicotado tanto pelos principais líderes libaneses como pelo Ocidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.