Condoleezza pressiona o Irã a voltar à negociação e não ao confronto

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, pressionou nesta quinta-feira o Irã a voltar para o "caminho certo da negociação, e não do confronto", após a reunião mantida em Berlim pelos ministros de Exteriores dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e o da Alemanha. O ministro de Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, advertiu a Teerã que sua decisão sobre o programa atômico dependia de seu retorno à via da cooperação ou, caso contrário, ficaria no "isolamento internacional". O Conselho de Segurança adotou na última terça-feira, em Nova York, uma declaração presidencial exigindo que o Irã suspenda as atividades nucleares em 30 dias. Steinmeier e Rice insistiram na "coesão" da comunidade internacional sobre o Irã, evidenciada na reunião convocada em Berlim por convite do governo alemão dos membros com direito a veto, mais a Alemanha, em sua função de integrante da trio da UE para as negociações com o Irã. O ministro de Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e o vice-ministro da China, Dai Binguo, disseram que o papel principal deve ser desempenhado pela Agência Internacional da Energia Atômica (AIEA). Lavrov disse que o trabalho da AIEA saiu reforçado, e acrescentou que a via para resolver essa disputa passa por este órgão. Dai insistiu em que a reunião desta quinta-feira servia para fortalecer o papel da AIEA na busca de uma solução, e ressaltou que "só é possível alcançar uma solução pela via pacífica".

Agencia Estado,

30 Março 2006 | 11h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.