Condutor de trem é indiciado por homicídio na Espanha

Francisco Amo terá de se apresentar ao tribunal toda semana e está proibido de sair do país

Agência Estado

28 de julho de 2013 | 20h05

O condutor do trem que descarrilou esta semana na Espanha, causando a morte de 79 pessoas, foi indiciado neste domingo por homicídio por negligência. Depois de ser interrogado por um juiz e indiciado, Francisco Jose Garzon Amo, 52, foi solto sob fiança. O juiz ordenou que Amo se apresente ao tribunal toda semana e proibiu que ele saia da Espanha. Além disso, ele não poderá conduzir trens por um período de seis meses, informou o Tribunal Superior da Galícia.

 

Segundo um morador da cidade onde o trem descarrilou, o condutor disse, minutos após o acidente, que estava correndo demais e não conseguiu frear.

 

Em uma entrevista à rede de televisão Antena 3, Evaristo Iglesias afirmou que ele e outra pessoa acompanharam o maquinista, Francisco José Garzón Amo, a uma área onde outras pessoas feridas estavam sendo colocadas à espera das equipes de emergência. "Ele nos disse que queria morrer", relatou Iglesias.

 

Segundo a testemunha, Garzón contou que "estava muito rápido" e "precisou frear, mas não conseguiu". Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.