Conferência da ONU analisa crise de proliferação nuclear

A XVIII rodada da Conferência de Desarmamento da ONU foi iniciada nesta segunda-feira na cidade japonesa de Yokohama, com o objetivo de analisar possíveis soluções para as últimas crises sobre a proliferação nuclear ocorridas na Coréia do Norte e no Irã.O lema desta conferência, que reúne analistas e autoridades de 15 países, é "Crises alarmantes de proliferação nuclear perante a segurança e a paz regionais".Está previsto que os participantes desta reunião periódica examinem os programas nucleares da Coréia do Norte e do Irã, e os esforços destes países para produzir arsenais atômicos, indicaram fontes do Governo japonês citadas pela agência de notícias "Kyodo". Neste domingo, o Governo iraniano voltou a lembrar que "não está em sua agenda" a renúncia de seu programa de enriquecimento de urânio, que pode ser desviado para a produção de armas atômicas.Além disso, a conferência acontece no meio da crescente preocupação no Leste da Ásia diante da possibilidade de que a Coréia do Norte, que reconheceu em fevereiro de 2005 que já dispunha de armas atômicas, realize um teste nuclear subterrâneo.Outro assunto que será discutido pelos analistas que comparecem à conferência diz respeito ao comércio de equipamentos e tecnologia nuclear no mercado negro, uma das principais causas de proliferação deste tipo de dispositivos de desenvolvimento restringido, que podem ser empregados para produzir armas de destruição em massa.O Japão é o anfitrião destas conferências anuais desde 1989. Entre os países participantes desta última rodada, se encontram os Estados Unidos e o Irã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.