Conferência marca retorno dos EUA à Unesco

A bandeira norte-americana foi hasteada nesta segunda-feira, em Paris, junto às dos outros 189 países membros da Unesco (agência das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), na abertura da 32ª Conferência Geral da organização. O evento marcou a volta dos EUA para a Unesco, 19 anos depois de acusá-la de ineficiência e tendências esquerdistas e anti-americanas. A primeira-dama dos EUA, Laura Bush, discursou na abertura da conferência bianual e relacionou o trabalho da agência à luta contra o terrorismo. ?A Unesco pode alcançar a paz expandindo os valores que ajudaram a derrotar o terrorismo e conduzir o mundo à uma condição melhor e mais segura?, afirmou. A participação dos Estados Unidos nos trabalhos da organização vai refletir no aumento do orçamento para US$ 610 milhões de dólares nos próximos dois anos. No segundo dia de sua viagem internacional, Laura Bush também teve um encontro com o presidente Jacques Chirac. O francês se limitou a declarar que todos concordam com a necessidade da reconstrução do Iraque e mudou o assunto para os planos de viagem da primeira-dama, que nesta terça-feira segue para Moscou. Laura Bush disse que espera que as relações entre os EUA e a França continuem fortes. ?Claro que há divergências. Mas discordamos, também, de muitas outras pessoas com quem mantemos um bom relacionamento?. Constituída em 1945 para promover o intercâmbio internacional, a Unesco ajuda a modernizar sistemas de educação, estabelecer estudos sobre bioética e preservar os tesouros naturais e culturais do mundo. Os trabalhos da conferêcia deste ano vão até 17 de outubro. Serão debatidos projetos sobre a diversidade cultural, multilingüismo na internet e dados genéticos humanos. Os países-membros também abordarão o tema da recuperação da arte e das relíquias culturais saqueadas durante a invasão norte-americana ao Iraque.

Agencia Estado,

30 Setembro 2003 | 01h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.