Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Confiante na vitória, Sharon tenta acalmar árabes

Prevendo uma esmagadora vitória na eleição da semana que vem, o linha-dura israelense Ariel Sharon tem tentado enviar mensagens visando acalmar um receoso mundo árabe, onde ele tem sido satanizado há décadas.Entretanto, dado o proeminente papel de Sharon em guerras de Israel contra Estados árabes e suas muitas declarações provocativas no decorrer dos anos, não está claro se a campanha terá muito sucesso. "Minha opinião pessoal é que Sharon é um desastre para o povo israelense e para toda a região", disse Jibril Rajoub, chefe da segurança palestina na Cisjordânia, acrescentando à sua declaração um velado apoio ao primeiro-ministro Ehud Barak.Alguns líderes árabes, incluindo o presidente egípcio, Hosni Mubarak, e o primeiro-ministro libanês, Rafik Hariri, têm dito que Sharon na chefia do governo de Israel seria um fator de instabilidade na região. Sharon despachou um enviado, Magali Wohaba, para reunir-se com autoridades árabes, disse um assessor de Sharon, Raanan Gissin. Gissin. Homem de confiança de Sharon, Wohaba é árabe e membro de uma comunidade drusa, que segue uma variante do islamismo. Os drusos cooperam com os líderes judeus do país, mas também têm laços com o mundo árabe. Também, o filho de Sharon, Omri, viajou para Viena, Áustria, na semana passada, a fim de reunir-se com Khaled Salam, principal assessor econômico de Arafat. Há rumores não confirmados de que eles teriam acertado um encontro entre Sharon e Arafat no caso de uma vitória do israelense.

Agencia Estado,

01 de fevereiro de 2001 | 17h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.