Confirmação de crimes da ditadura choca o Chile

Parentes de vítimas da ditadura chilena mostraram-se chocados com a confirmação, por parte do Exército, de que pelo menos 400 prisioneiros políticos foram lançados ao mar de helicópteros nos anos 70. Segundo reportagem do jornal La Nación, com base em um processo judicial, os prisioneiros - na maioria, detidos pela polícia secreta de Augusto Pinochet - foram jogados amarrados a barras de metal.Insistindo ter informações do destino de "apenas" 200 dos 1.200 presos políticos - dos quais 400 foram lançados ao mar -, o chefe do Estado-Maior do Exército, general Roberto Aranciba, disse que sua instituição está com a "consciência tranqüila, porque entregou todos os dados que conseguiu reunir sobre os desaparecidos" durante as negociações entre militares e civis, no início da década de 1990.O porta-voz do governo, ministro Francisco Fidal, por sua vez, classificou a prática como "uma desumanidade inclassificável". Mireya García, vice-presidente do Grupo de Familiares de Presos Políticos, disse que a informação é ?impactante e brutal".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.