Conflito deixa 13 mortos no Paquistão; 9 eram crianças

Pelo menos 13 pessoas, nove das quais crianças, foram mortas no noroeste do Paquistão com a explosão de duas bombas numa casa durante um confronto entre forças de segurança e militantes do Taliban, disseram militares e moradores. O conflito irrompeu quando militantes atacaram dois postos de segurança na região de Darra Adam Khel, matando um soldado e ferindo outro. "Durante o ataque, os canalhas ainda atiraram dois morteiros que atingiram uma casa no mercado de Darra Adam Kheil e houve algumas mortes de civis", disse o tenente-coronel Nadeem Anwar, porta-voz militar em Peshawar. O departamento de informação do Exército informou depois que 13 civis foram mortos. Saeed-ur-Rehman, morador do local, afirmou que nove crianças estavam entre os mortos e que pessoas furiosas bloquearam a principal estrada para Peshawar para protestar contra os assassinatos. "Os corpos estão estirados na estrada e as pessoas estão protestando", disse Rehman à Reuters por telefone. Militantes se tornaram ativos na região de Darra Adam Khel, ao sul de Peshawar, nos últimos dois anos, apesar de não estar na fronteira com o Afeganistão, onde os militantes mantêm algumas células. Um porta-voz do Taliban operando na região reivindicou a responsabilidade no sábado pela morte de um engenheiro polonês que pedia carona perto da cidade de Attock, a cerca de 65 quilômetros da capital Islamabad, em setembro. Os militantes divulgaram um vídeo em que cortam a cabeça de Piort Stanczak. O filme mostra um cartaz preto sobre uma parede onde se lê "Tehrik-e-Taliban" (Movimento Taliban) Darra Adam Kheil" atrás de Stanczak, enquanto ele falava antes de ser morto. (Reportagem de Zeeshan Haider e Alamgir Bitani)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.