Conflito fará Coreia do Norte perder US$ 280 mi por ano

Número foi calculado em função dos dados comerciais com a Coreia do Sul em 2009

Efe,

11 de junho de 2010 | 05h59

SEUL - O bloqueio do comércio entre as duas Coreias por conta da tensão gerada pelo afundamento de um navio sul-coreano vai representar uma perda de mais de US$ 280 milhões por ano para a Coreia do Norte, segundo estimativas oficiais divulgadas nesta sexta-feira por Seul.

Um relatório do Instituto de Desenvolvimento da Coreia (KDI) destacado pela agência local Yonhap ressalta que esta quantia, calculada em função dos dados comerciais entre os países em 2009, será um novo golpe para a já debilitada economia norte-coreana.

A Coreia do Sul anunciou a suspensão do comércio com o Norte pouco depois que uma equipe internacional revelou, em 20 de maio, que um torpedo norte-coreano afundou o navio de guerra sul-coreano "Cheonan" em março passado perto da fronteira marítima no Mar Amarelo (Mar Ocidental).

Pyongyang nega ter responsabilidade no incidente, que causou a morte a 46 marinheiros sul-coreanos.

O incidente levou a Coreia do Sul suspender todos os intercâmbios com a Coreia do Norte, exceto os do parque industrial de Kaesong, um enclave em território norte-coreano no qual empresas sul-coreanas utilizam mão-de-obra do país comunista.

Segundo os dados divulgados pelo KDI, a Coreia do Norte teve em 2009 um superávit comercial de 234 milhões de dólares com a Coreia do Sul.

O volume comercial entre os países em 2009 chegou a US$ 1,68 bilhões, número que representa 32,8% do total do comércio exterior norte-coreano, contra 0,24% do total da Coreia do Sul.

Seul é o segundo parceiro comercial da Coreia do Norte, atrás da China, principal aliado político do regime comunista de Kim Jong-il.

O relatório adverte que Pyongyang terá dificuldades para encontrar outro parceiro em substituição à Coreia do Sul, já que suas exportações estão centradas em produtos agrícolas ou recursos naturais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.