Conflito matou 90 mil desde 2011, diz Kerry

O secretário americano de Estado, John Kerry, declarou ontem que o conflito na Síria pode ter provocado a morte de 90 mil pessoas desde o início da crise, em março de 2011. Ele citou como fonte o chanceler da Arábia Saudita, o príncipe Saoud al-Fayçal. O novo chefe da diplomacia dos EUA acrescentou que 750 mil pessoas fugiram da Síria e 2,5 milhões precisaram se deslocar pelo país por causa dos confrontos entre os rebeldes e as forças do ditador Bashar Assad. A última estimativa da ONU era 70 mil mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.