Conflito na Faixa de Gaza deixa 11 palestinos mortos

Centenas de famílias abandonaram suas casas no acampamento de refugiados de Rafah nesta segunda-feira, enquanto helicópteros israelenses realizavam ataques com mísseis que mataram onze palestinos. Pelo menos dois dos mortos eram da milícia palestina. Outros 24 ficaram feridos. Os militares disseram que o alvo dos ataques em Rafah eram palestinos armados que cercavam as tropas israelenses. Tanques israelenses isolaram a área, preparando o que pode vir a ser uma de suas maiores ofensivas militares. Israel está tentando ampliar suas patrulhas na região de Rafah depois que palestinos explodiram um veículo israelense blindado, na semana passada, provocando a morte de cinco soldados que trabalhavam na destruição de túneis usados para o contrabando de armas vindas do Egito. O último dos três mísseis disparados pelos israelenses, já na manhã de terça-feira, atingiu a região próxima a uma mesquita, quando a população se reunia para as orações da manhã. Os moradores afirmam que a milícia palestina instalou bombas nos arredores de Rafah. De madrugada, um palestino de 23 anos morreu na explosão de uma delas. Famílias desesperadas estão lotando caminhões e carretas puxadas por burros e se dirigindo para uma cidade vizinha. Cerca de 2.000 pessoas já abandonaram a área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.