Conflito sírio faz 22 mil iraquianos voltar para casa

Mais de 22 mil refugiados iraquianos, que nos últimos anos haviam encontrado abrigo na Síria, tiveram de voltar para a casa nas últimas três semanas, informou ontem o escritório das Nações Unidas em Bagdá.

BAGDÁ, O Estado de S.Paulo

08 de agosto de 2012 | 03h03

Autoridades da ONU afirmam temer uma onda de refugiados da Síria para o Iraque, país que ainda luta para se reconstruir após anos de guerra sectária e ocupação americana. Além das famílias que voltam para casa, há ainda sírios que estão deixando seu país para tentar a vida do outro lado da fronteira.

No dia 23, o Iraque anunciou que a fronteira com a Síria está aberta para os civis que quiserem fugir da violência, sejam iraquianos ou sírios. Os estrangeiros, porém, estão sendo mantidos na região de fronteira, o que provocou críticas ao governo.

O novo fluxo de refugiados ilustra a rápida mudança pela qual passa o Oriente Médio. Após o início da guerra do Iraque, em 2003, centenas de milhares de iraquianos encontraram na Síria a estabilidade e segurança que lhes faltavam em casa.

O enviado especial da ONU para o Iraque, Martin Kobler, elogiou os esforços do governo de Bagdá para ajudar os refugiados vindos da Síria, mas pediu maior apoio financeiro de doadores internacionais. "Essa onda de refugiados ocorre no momento em que há uma severa falta de serviços também no Iraque", afirmou Kobler. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.