Conflitos deixam 16 mortos em Bagdá

Sete pessoas, entre elas dois membros dos serviços de espionagem e o militante de um partido curdo, foram assassinados nesta madrugada na capital iraquiana, o que aumentou para dezesseis o número de mortos nas últimas horas só em Bagdá, informaram fontes do Ministério do Interior. Segundo as fontes, os oficiais do serviço de inteligência Ghassan Ali Samarrai e Hamid Salem Al-Janabi foram assassinados em uma estrada em Ha al Gamaa, no oeste de Bagdá, e seus cadáveres foram achados esta manhã dentro do automóvel no qual viajavam. Em outro fato, três homens, entre os quais se encontrava um militante da União Patriótica do Curdistão, o partido dirigido pelo presidente iraquiano, Jalal Talabani, foram assassinados por desconhecidos, que os metralharam no bairro de Bayaa, no oeste de Bagdá. Além disso, outros dois civis morreram e oito estão feridos por fogo de morteiro na zona de Allawi (oeste da capital) e Hay Gamila (este). Por último, cinco soldados do Exército iraquiano ficaram feridos quando uma carga explosiva explodiu durante a passagem de sua patrulha em Mustansariya, ao leste de Bagdá.

Agencia Estado,

12 Março 2006 | 08h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.