Conflitos durante eleições na Argélia deixam 45 pessoas feridas

Confrontos entre agentes de segurança e manifestantes ocorreram em Rafur e Haizer

O Estado de S. Paulo,

17 de abril de 2014 | 14h42

ARGEL - Pelo menos 45 pessoas, sendo 30 policiais e 15 civis, ficaram feridas nas cidades de Rafur e Haizer, a sudeste de Argel, em confrontos entre agentes das tropas de choque e dezenas de pessoas que denunciavam o voto de militares nas eleições presidenciais nesta quinta-feira, 17, na Argélia.

Segundo a imprensa local, alguns manifestantes entraram em uma sessão eleitoral de Rafur, 147 quilômetros a sudeste da capital argelina, e queimaram as urnas. Uma testemunha confirmou à Efe por telefone que os distúrbios começaram de madrugada e continuam até agora.

Segundo o jornal Al Watan, quatro manifestantes foram detidos na cidade e outros três, em Haizer. As forças de segurança lançaram gás lacrimogêneo de um helicóptero para dispersar o protesto, diz o jornal.

A agência oficial de informação APS afirma que os manifestantes pretendiam "impedir o desenvolvimento da jornada eleitoral". Segundo a APS, um grupo de jovens tentou atacar outra sessão eleitoral, em Haizer, mas não conseguiu./ EFE

 
Tudo o que sabemos sobre:
Argéliaeleições na Argélia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.