Conflitos matam 2 e ameaçam acordo de paz

No quarto dia de confrontos entre aliados e opositores do presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, duas pessoas morreram ontem em protestos na cidade de Taiz. As manifestações dos últimos dias ameaçam o acordo que permitiu a renúncia de Saleh e pôs fim a 33 anos de ditadura. O pacto foi mediado por países vizinhos do Iêmen, que compartilham com os EUA o temor de que um vácuo político e eventual guerra civil favoreçam a Al-Qaeda na Península Arábica, grupo ligado à rede fundada por Osama bin Laden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.