Conflitos na Nigéria podem abalar produção de petróleo

Choque entre milícias armadas e tropas militares do governo da Nigéria estão provocando um estado de guerra na principal região produtora de petróleo da África, no delta do rio Níger. No segundo dia de confrontos entre os membros do grupo separatista Movimento para Emancipação do Delta do Níger, o grupo disse que qualquer novo ataque às suas posições será considerado uma declaração de uma guerra de petróleo. Este grupo separatista é formado por militantes e também por membros de quadrilhas de roubam o petróleo nigeriano para revendê-lo em outros continentes. A maior parte dos confrontos está ocorrendo na região onde a indústria petroleira está estabelecida mas um conflito maior poderá deixar a infra-estrutura de extração de petróleo do país bastante abalada. Analistas dizem que os militantes estão mais motivados pelo dinheiro do que por motivos políticos. Mas as milícias dizem que eles querem que sejam criados mais recursos gerados pelo petróleo sejam distribuídos para seus estados, que continuam empobrecidos apesar de cinco décadas de exploração de petróleo na Nigéria. No domingo, os militantes disseram ter atacado soldados que protegiam áreas administradas pela Chevron Corp e pela Royal Dutch Shell depois que os militares nigerianos atacaram, no sábado, a base da milícia.(AE-AP)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.