Conflitos na Síria deixam 96 mortos neste domingo

Pelo menos 96 pessoas foram mortas neste domingo na Síria, entre civis, soldados e rebeldes, nos vários conflitos ocorridos pelo país, segundo o Observatório Sírio para Direitos Humanos. Entre os vários eventos que marcaram o dia, estão a tomada do controle de um campo de petróleo no leste do país, a derrubada de um avião e a explosão de um carro-bomba próximo ao hotel Dama Rose, no centro de Damasco.

CYNTHIA DECLOEDT, Agência Estado

04 de novembro de 2012 | 18h49

O chefe do Observatório Sírio para Direitos Humanos, Rami Abdul-Rahman, disse que a tomada do campo de petróleo Al-Ward, na província de Deir el-Zour, próxima à fronteira com o Iraque, é a primeira realizada pelos rebeldes desde que a revolta contra o regime do presidente Bashar al-Assad se iniciou em março de 2011. O controle foi assumido depois de dias de cerco.

Segundo Abdul-Rahman, a batalha se iniciou ao amanhecer, durou várias horas, e 40 soldados que faziam a guarda do campo foram mortos. Mais tarde, o observatório informou que os rebeldes derrubaram um avião em Deir el-Zour, e que, aparentemente, o piloto havia sido capturado.

A Síria exportava cerca de 150 mil barris de petróleo por dia antes das sanções americanas e europeias impostas no ano passado. Em 2010, a Síria ganhou US$ 4,4 bilhões com a venda de petróleo somente para países da UE. A commodity era a principal fonte de divisas para o regime até o momento em que as sanções entraram em vigor.

Foram relatados combates próximo ao escritório da inteligência política na província de Damasco, segundo o observatório. Na região nordeste da capital, Ghuta, aviões lançaram três ondas de bombardeios.

Um correspondente da Associated France Press na província de Aleppo reportou três ataques aéreos, em sucessão, na cidade de Al-Bab, com testemunhas informando sobre pelo menos quatro mortes.

A mídia estatal disse que uma explosão de carro-bomba próxima ao hotel Dama Rose, no centro de Damasco, feriu 11 civis, acusando os "terroristas", como o regime de governo se refere aos rebeldes armados, pelo incidente. No hotel estavam o enviado da Liga Árabe-Nações Unidas Lakhdar Brahimi para visita em Damasco. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaconflitoscarro-bomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.